Caio Miranda discute homenagem aos sobreviventes do Holocausto e realização de memorial itinerante nas escolas

Vereador recebeu o escritor Marcio Pitliuk, um dos maiores especialistas sobre a história da comunidade judaica no Brasil, para discutir ações que homenageiem os sobreviventes do Holocausto que estão em São Paulo, além de propor um memorial itinerante em escolas públicas da cidade

 

Por Fábio Busian

 

Homenagear as vítimas do Holocausto e os imigrantes refugiados que vieram ao Brasil, conscientizando as próximas gerações sobre a gravidade da intolerância. Esse foi o ponto principal do bate-papo que o vereador Caio Miranda Carneiro (PSB) teve com o escritor Marcio Pitliuk, um dos maiores especialistas brasileiros sobre o tema, durante a tarde desta segunda-feira (28), em seu gabinete.

Caio Miranda Carneiro recebeu o escritor Marcio Pitliuk em seu gabinete na tarde desta segunda-feira (28)

“É importante relembrarmos os erros do passado, enquanto sociedade, para que não sejam repetidos no futuro. Por isso, apoiarmos iniciativas como a do professor Marcio, de reproduzir em escolas públicas o filme ‘Sobrevivi ao Holocausto’, contando a história dos judeus que vieram para o Brasil em busca de asilo e de um recomeço em suas vidas”, afirmou Caio Miranda.

 

A ideia é tentar fazer um Memorial do Holocausto itinerante em algumas escolas municipais espalhadas, por todas as regiões da cidade, para incentivar os jovens a buscarem mais informações sobre a história. “É uma iniciativa importante, com uma troca de experiências dinâmica. Queremos levar sobreviventes para contar suas histórias aos alunos do ensino público, trazendo para a realidade dessa garotada um fato tão recente e marcante, mas tão distante das discussões atuais da juventude”, acrescentou o vereador.

“Queremos homenagear as vítimas que estão vivas, que muito contribuíram para o desenvolvimento de São Paulo”, disse o vereador

Caio Miranda propõe ainda uma homenagem aos sobreviventes do holocausto em São Paulo, com um ato solene no dia 9/11, data conhecida pela comunidade judaica como “Noite dos Cristais”, que marca o início da onda de violência contra os judeus em toda a Alemanha. “Também queremos homenagear as vítimas que estão vivas e são moradores de São Paulo, que muito contribuíram para o desenvolvimento da cidade”, finalizou Miranda.