Câmara Municipal de São Paulo entrega Salva de Prata a membros do Copedem

Iniciativa do vereador Caio Miranda Carneiro (PSB) reconhece publicamente o trabalho da Instituição e de 81 magistrados do País

 

Por Fábio Busian

Foto: Alexandre de Paulo

 

A Câmara Municipal de São Paulo presta, no fim da tarde desta sexta-feira (23), a sua mais alta honraria já oferecida a uma instituição. A Casa concede, a partir das 17h, no Plenário 1º de Maio do Palácio Anchieta, uma Sessão Solene de entrega da Salva de Prata, outorgada ao Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura – Copedem, por iniciativa do vereador Caio Miranda Carneiro (PSB).

De acordo com Caio Miranda, proponente do decreto, o reconhecimento público do Copedem se faz necessário por causa dos excelentes serviços prestados pela instituição há mais de uma década. “O Copedem apoia essa missão de elevar a relevância das escolas estaduais da magistratura do País, com especial destaque para a renomada Escala Paulista da Magistratura”, afirma o vereador. “O Copedem contribui decisivamente para a integração dessas instituições e, sem dúvida, ajuda a garantir a excelência da formação e aperfeiçoamento dos magistrados de todo o Brasil”, observa.

Antonio Rulli Júnior, desembargador e ex-presidente do Copedem, que morreu no dia 14 de janeiro, é um dos homenageados

 

Além da instituição, essa homenagem será estendida ainda a juízes e desembargadores de diversos Estados da Federação, que de alguma forma contribuíram significativamente para o sucesso do Copedem e de suas respectivas escolas de magistratura. Ao todo, a Câmara Municipal de São Paulo homenageia hoje 81 grandes nomes com a entrega de medalhas e diplomas de reconhecimento.

Antonio Rulli Júnior, desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ_SP) e presidente do Colégio Permanente de Diretor de Escolas Estaduais da Magistratura (Copedem), que morreu no dia 14 de janeiro, será um dos homenageados.
Erudito, doutor Rulli é o autor de dois volumes da obra “Memorial de Ministro” – Catálogo Alfabético dos Ministros de Letras –, com a relação dos juízes de direito e desembargadores no período de 1544 a 1822, publicação co-editada com a Biblioteca Nacional de Portugal.