Campeã tenta “vaquinha” para participar do mundial universitário de rugby sevens

Competição revela engajamento e falta de incentivo no desporto universitário paulista

Medalhas do Campeonato Paulista Universitário

 

Por Arthur Duran – foto e texto

 

Um engajamento que ia muito além da torcida presencial marcou as finais de atletismo e rugby sevens do Campeonato Paulista Universitário, disputado no Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo (CEPEUSP), neste domingo, 6 de maio.
Quem perseguia esse nível de excelência de envolvimento era Camila Kokron Rodrigues, a melhor atleta da competição, que sagrou como vice no rugby sevens a sua equipe, a Farmácia (USP), e como campeã, a Tsunami (USP). A atleta já havia sido campeã dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs).

 

Camila Kokron Rodrigues exibe troféu de melhor jogadora da competição

 

Camila, integrante da equipe campeã do JUBs, puxa uma campanha de crowdfunding, para assim possibilitar a participação da seleção no campeonato mundial, que será na Namíbia (África), de 12 a 14 de julho deste ano. As contribuições para a “vaquinha” podem ser feitas clicando aqui.

Jogadores da UFSCar durante partida disputada contra atletas da UNICAMP

 

O vereador Caio Miranda Carneiro (PSB), ex-atleta universitário, apontou a carência de investimento na área. “Criamos o PL 323/2017, que estimula o apoio ao desenvolvimento do desporto universitário – cujo objetivo é facilitar o uso dos equipamentos esportivos municipais pelas entidades universitárias”, explicou. Além disso, o vereador liberou emenda para o Campeonato Paulista Universitário.

Já no masculino, o Paulista Universitário teve competição mais acirrada: vitória surpreendente da ESPM sobre a seleção da USP – na própria casa desta.

 

Equipe da ESPM comemora no centro do campo a vitória sobre a seleção da USP