Jogamos dinheiro fora junto com os materiais descartados, alerta Caio no Congresso Ambiental

Vereador deu exemplos em sua palestra de como órgãos municipais podem inspirar a mudança de consciência na sociedade

 

Por Fábio Busian

Fotos: Alexandre de Paulo

 

Mais do que discutir leis, tomar atitude e comportamentos sustentáveis concretos em órgãos governamentais para dessa maneira inspirar a população. Esse foi o foco da intervenção do vereador Caio Miranda Carneiro (PSB-SP), no Congresso Ambiental VIEX, que ocorreu na cidade de São Paulo nesta terça-feira (19).

“A Câmara utiliza 50 mil copos plásticos por dia. Banir esse uso não só traz uma redução de custo, mas um novo costume”, diz Caio

 

“Hoje, São Paulo reforçou sua responsabilidade como signatário da Agenda 2030 da ONU, além de mostrar avanços significativos de redução de poluentes”, avalia Caio. Ele cita também a Lei 16.912/18, de sua autoria, que reduz poluentes na frota de veículos da Prefeitura. “Acabamos de aprovar um projeto que apresentamos, prevendo a eliminação do CO2 em toda a frota de veículos de órgãos da Prefeitura, inclusive prestadores de serviço, dando exemplo aos munícipes.”

O parlamentar acredita na força do exemplo a partir do próprio ambiente de trabalho. “Hoje, a Câmara Municipal de São Paulo utiliza 50 mil copos plásticos por dia. Somente a ideia de banir esse uso não só traz uma redução de custo para a casa e de passivo ambiental, mas carrega ainda uma sensibilidade e um novo costume para todos que ali estão. E a boa notícia é que o presidente da Câmara, Milton Leite, aprova a ideia”, explica Caio.

Reciclagem é o caminho – Focado na reciclagem do município, o parlamentar avalia que a reciclagem é também uma forma de reduzir gastos com coleta, que hoje chegam a R$ 2,4 bilhões anuais. “Jogamos dinheiro fora, por não reciclar a maioria absoluta dos materiais descartados. Além de gerar mais lixo, que faz com que o gasto de coleta seja maior e geremos ainda mais impacto ambiental para as próximas gerações”.

Caio falou também do seu projeto de Logística Reversa. “O comércio tem suas responsabilidades nessa mudança de cultura. Criar a ideia de que quem vende o celular também receba o aparelho antigo, focando na logística reversa em todos os níveis”, reflete.

Fim da bitributação – Segundo Mauricio Brusadim, secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo, a destinação de resíduos é, em média, o quinto orçamento dos municípios. “Aterrar o lixo é antiquado, estamos aterrando energia. Ainda teimamos em enterrar recursos naturais que a sociedade lá na frente vai pagar, com um alto custo para os municípios”.

Mas Brusadim afirma que a solução vem do Governo de São Paulo. “Uma das soluções é acabar com a bitributação de reciclados, e o governador Márcio França está mudando isso e querendo acabar com essa prática aqui no estado”, esclarece.